terça-feira, 27 de abril de 2010

Sobre os domingos

Domingo é o dia em que a inércia parece ser mais forte que qualquer outra coisa. Dia em que o sofá e aquela coberta são tão atraentes quanto a bacia de pipoca, o filme no DVD ou o livro a ser terminado. Dia em que a preguiça impera e que nos faz lembrar que em seguida vem a segunda-feira. O fim de semana acaba e tudo começará outra vez quando abrirmos os olhos na manhã seguinte.

Domingo é o dia em que algumas famílias se reúnem e pedem uma pizza naquele restaurante do bairro. A avó e seu tricô no sofá, a criança correndo pela casa e os irmãos conversando sobre o fim de semana. Às vezes um vinho, outras uma cerveja.

Domingo também é o dia em que os solteiros acabam se obrigando a sair de casa. Pois é um daqueles dias que a solidão aparece e cutuca de leve. E, por essa história da solidão gostar de aparecer nos domingos, é que alguns solteiros se deixam levar por boas companhias. E na onda de se deixar levar pelas boas companhias é que os solteiros deixam de ser solteiros.


Domingo dá preguiça, domingo engorda, domingo anima, domingo aproxima e domingo apaixona.


Definitivamente, hoje eu gosto de domingos!

3 comentários:

  1. Adorei a conclusão!
    Domingo dá preguiça, domingo engorda, domingo anima, domingo aproxima e domingo apaixona.
    E tud isso acaba no emps...
    Muitas Saudades!

    ResponderExcluir
  2. E tudo isso acaba no emps! Saudades também! Muita!

    ResponderExcluir